terça-feira, maio 17, 2005

Espírito de contradição e muita paciência

Ser adepto do FC Porto fora do habitat natural dos portistas demonstra espírito de contradição e exige muita paciência. Ao longo dos anos, vi-me na obrigação de justificar não ser adepto do Benfica ou do Sporting, como todos os bons portugueses aparentemente são, uma média de 10 vezes por dia. Mas mais ainda - há também que defender o FC Porto de ataques de gente que lhe tem quase tanto asco como o Saldanha Sanches tem pelas autarquias locais.

Das centenas de discussões que tive, posso classificar os FC Porto-fóbicos em quatro categorias básicas:

Aqueles para quem dá muito trabalho pensar

Estes são os que, quando confrontados com as vitórias nacionais e internacionais do FC Porto, e com as falcatruas e favorecimentos de que os seus próprios clubes beneficiaram e beneficiam, abandonam a discussão encolhendo os ombros e dizendo: "Não interessa - o Pinto da Costa é que compra os árbitros todos."

Os Indignados

Para estes, as vitórias do FC Porto são ofensas pessoais. Muito pessoais. Quando sabem que sou adepto do Porto, enxofram-se e, de indicador apontado à minha cara como uma arma, bradam "Como é que explicas que...", e começam o rol das intoleráveis desonestidades em que assenta o domínio do futebol português pelo FC Porto nos últimos anos, bem como os repetidos e humilhantes insucessos do seu próprio clube. A estes, deixo-os esvaziar a sua fúria. Antes em mim do que na estrada, nalgum condutor que notem que tenha um galhardete do FCP pendurado no retrovisor, ou nalgum GNR com pronúncia do Norte.

Os Abstrusos

Esta categoria corresponde mais ou menos à dos espectadores fiéis de programas de paineleiros de futebol. Lêm todos os diários desportivos sem falhar um número e têm uma capacidade impressionante para apreender uma série de factos inúteis, que arquivam para uso no que entendem ser o momento adequado. Quando chegam ao momento de apresentar os seus argumentos, lá salta do seu arquivo alguma contratação de há quinze anos atrás, uma percentagem de empresário, obscura trica ou insignificante alteração de regulamentos da Federação ou da Liga na qual, asseveram, houve mão de Pinto da Costa.

Palma de ouro nesta categoria: um colega de liceu que, para demonstrar que "lá no Norte é só corrupção", explicou como os árbitros da AF do Porto podiam ser indicados como candidatos para promoção a árbitros internacionais desde que tivessem o 9º ano de escolaridade, enquanto a AF de Lisboa exigia o 12º ano.

Os Moderados

O grupo mais exasperante, num certo sentido. Depois de me ouvirem pacientemente - e por vezes até acenando com a cabeça em sinal de concordância - enquanto demonstrava que todos os grandes são beneficiados pelas arbitragens nos jogos contra os clubes pequenos, fazendo-me acreditar que, pela primeira vez na vida, tinha conseguido convencer alguém, dizem "Sim, é verdade, mas tens de admitir que o FC Porto é mais beneficiado".

2 Comments:

Blogger Alexander Bonapart Clust said...

SLB, SLB, SLB, SLB, SLB, glorioso SLB, glorioso SLB!!!!! Lá, lá, lá... Caro Hugo, esqueces a categoria dos que não conversam... já só cantam!!!! Ninguém para o Benfica, Ninguém para o benfica, ole´ohhhhhh!!!!!!

sexta-feira, 27 maio, 2005  
Blogger Clibanarius said...

E amanhã com a Taça, mais festa ainda.

Claro que, mais cedo ou mais tarde, vão começar a pensar: "Jogar na Liga dos Campeões com esta equipa? O horror. A tragédia."

Mas entretanto, façam a festa que não vos faz mal nenhum.

Mesmo para mim, nem tudo é mau: o clube local manteve-se na 3ª Divisão por um ponto na última jornada, depois de ganhar por 3-0 ao...Benfica B!

domingo, 29 maio, 2005  

Enviar um comentário

<< Home